7 de abr de 2014

Meu álbum da Copa de 2014

Vi que alguns amigos já receberam o álbum da Copa de 2014. Eu também. Com figurinhas. E li o texto brilhante do Mauricio Stycer ( http://copadomundo.uol.com.br/noticias/redacao/2014/04/07/opiniao-figurinhas-com-publicidade-sao-um-abuso.htm ) sobre o tema. Impulsionado pela grande quantidade de gente na redação colecionando vou me meter no tema. Faremos uma ponte-aérea de figurinhas Rio-São Paulo que promete mexer no mercado.

Mas a primeira impressão não foi boa.

Sou das antigas. Comecei a colecionar figurinhas em 81, 82. Na época não era Paninni e sim o álbum da Copa era dos chicletes (chiclé, em São Paulo), Ping Pong. Era necessário mascar muito para conseguir uma figurinha e andar pela cidade em busca de chicletes de morango, onde vinham as mais raras ("não existem figurinhas difíceis", dizia o álbum).

Sigo.

Não gosto de figurinhas auto-colantes. Prefiro as que nos obrigavam a usar cola. Ainda cheguei a fazer cola de farinha de maisena.

Os pacotinhos de hoje te permitem ver, com dose de boa vontade, qual o primeiro cromo. Antigamente não havia jeito de ver nada. O que dava mais emoção. Além disso, você conseguia usar um pacotinho como "depósito" para trocar as figurinhas repetidas e levar pro colégio na mochila, sem risco de amassar. Com o pacotinho de hoje, isso é impossível. É ainda difícil abrir o pacotinho sem danificar um cromo, de tão apertado que vem aquilo.

Ao contrário de muitos amigos, que eram exímios coladores de figurinha, meus álbuns eram uma zona. Errava de propósito e errava porque errava. Figurinha para mim tem que ter aquele espaço em branco pra marcar que você é humano e faz merda na hora de colar.

Mais. Cadê a relação numérica das figurinhas na última página, onde você marcava o que já tinha? Cadê o nome dos jogadores no álbum? Se eu colar por engano a 127 no lugar da 128 e quando vier a 128 eu colar na 127 dá igual. Se você não comparar o álbum com ninguém, nunca vai saber se errou. Isso é péssimo. Posso colocar o time na ordem que quiser. Que porcaria.

E para fechar, que merda é essa de figurinha com propaganda? Dá vontade de deixar em branco em sinal de protesto.

Para não falar só de coisa ruim, gostei do fato de as 32 seleções terem o mesmo espaço. No álbum da Copa de 90, por exemplo, algumas seleções menores dividiam a página e os jogadores dividiam espaço na mesma figurinha. Agora isso melhorou (na verdade, desde 2006 já era assim).





6 de mar de 2014

O jurado e seus quesitos

Não concordo com as notas dos jurados da Liesa. Mas também não concordo com a lista do Felipão, a escalação do Jayme de Almeida e com um montão de outras coisas. Mas adoro carnaval. Adoro ver desfile da Sapucaí e adoro dar opinião.

Antes de começar o carnaval, só de ouvir o disco e ler quem entende achava que o Salgueiro fosse ganhar. Achava também que a Beija-Flor iria ficar em terceiro. Em sétimo nunca. E apostava que a Ilha fosse fazer um grande desfile. Sabia também que a Imperatriz iria naufragar com Wander Pires cantando. Não gosto do jeito dele cantar. Depois vi que a Mocidade a a Império da Tijuca, apesar de serem as primeiras a desfilar tinham bons sambas e boas chances.

Aí veio o carnaval. E vi um Salgueiro lindo, mas com erros.Vi uma Beija-Flor com garra mas sem o brilho de outros tempos. Vi uma Ilha espetacular, que passou a ser minha favorita no primeiro carro. Mas no terceiro, que levou oito minutos para entrar na avenida, vi tudo ir por água abaixo. Vi a Imperatriz exuberante com Zico, mas com Wander Pires estragando tudo antes de começar a cantar o samba. Vi a Vila Isabel ridícula e uma Portela bem certinha.

Depois do carnaval vi uma Tijuca campeã sem merecer tanto assim. Uma Portela que merecia mais. Uma Ilha que merecia mais uma Mocidade recompensada. Vi uma Império da Tijuca que merecia muito mais, uma São Clemente que merecia menos e uma Vila Isabel que merecia bem menos. Mas é isso aí mundo do samba, como diz o cantor. Todo ano é igual. A diferença maior é que não tem Beija-Flor nas campeãs. E só isso já é muito.


25 de fev de 2014

Viajar na Iberia é viajar com fome

O link do Porta dos Fundos dessa segunda-feira http://youtu.be/i8jIiGu4tVM foi feito pra mim. Acabo de chegar de uma viagem de trabalho a Roma. Vim de Iberia e isso significa, no meu caso, passar 10h apenas com uma garrafinha de água de 750ml. Conto o caso.

No trecho Roma-Madri comer, nem pensar. É tudo pago. Mas são 2 horas de voo, beleza, nem precisa. Chego a Madri sem tomar café e decido comer um sanduba e um refri pra dar aquela tapeada até que chegasse ao almoço do avião. Que não é nada, não é nada, mas tem.

No meu caso, não tem.

Sentei na poltrona 21C, corredor. Avião vazio. A classe turista começa na 10. Ou seja: onze fileiras à minha frente com umas 44 poltronas e no máximo 13 pessoas. Para começar, como não tinha ninguém na janela me confundiram com um outro passageiro que tinha pedido comida kosher. O cara decidiu sentar em outro lugar e não se identifica.

- Senhor Carun é o senhor? - Perguntou esbaforida. Neguei.

Quando a mesma aeromoça volta com o jantar, duas horas depois de decolar, nem pensa em me fazer a pergunta: "pasta ou pollo?", como é habitual. Vai tirando a bandeja e jogando em cima da minha mesinha. Quando abro, para minha surpresa, suculentas berinjelas fatiadas ao queijo com molho de tomato. Hum...
Só que eu não como berinjela. Odeio berinjela. Pedi para trocar e a resposta foi pronta.

- Só tem isso. Se você não quiser eu posso te trazer uns amendoins, disse irritada.

Claro, posso trocar meu almoço por amendoins, que ótimo. Preferi não comer. Ela até ficou de ir ver se tinha alguma outra opção. Mas passou por mim com café ou té umas duas vezes e me ignorou. Quatro horas depois, decidiram servir um sanduíche. Expliquei meu caso a outro aeromoça (sem erro de gênero) e ele simpaticamente me disse.

- É um sanduíche por passageiro!

Que gentil, não. Recuso até mesmo o meio sanduíche que ele me oferecera. Passadas mais duas horas, voltam eles com mais um lanchinho. Desta vez nem quero ver o que é. Recuso de cara. Eia que volta a primeira aeromoça.

- O senhor tem certeza que não é senhor Carun? e respondo.

- A senhora acha que não sei meu sobrenome? Sou o que não come berinjela, lembra? Você ficou de me dar uma explicação e até agora nada.

E ela ficou me olhando com cara de bunda azeda.

A chefe dos comissários então decidiu vir falar comigo, saber porque não queria comer. Expliquei a ela que não queria comer porque estava me sentindo mal de dar tanto prejuízo à Iberia. Veja só: minha empresa pagou, e caro, a passagem para eu vir para Roma com vocês e ainda quero comer? Não é possível. Não quero ser responsável pela queda do faturamento da empresa. Ainda mais com a Espanha em crise. E disse também que nunca fui tal tratado em uma companhia aérea como estava sendo. Foram incapazes de encontrar uma solução para mim. Ela até tentou me pedir desculpas, mas eu disse: você como chefe deveria ter vindo aqui mais cedo e não nove horas depois do avião decolar. Não aceito suas desculpas e se puder, a Iberia nunca mais verá a cor do meu dinheiro.

Espero que tenham tido um voo agradável, disse o piloto.




20 de dez de 2013

Estado laico, graças a Deus

No Brasil a Constituição diz que o Estado é laico. Mas parece que para a cidade de Campos, a cidade tem que adotar a religião da prefeita Rosinha Garotinho. Veja essa publicação oficial no Facebook dando os parabéns a um, vamos dizer assim, "eleitor."

19 de dez de 2013

O melhor das compras de Natal

O melhor lugar para compras de Natal não é um shopping center de luxo e muito menos um popular. O melhor lugar para gastar o dinheiro do seu décimo terceiro salário é num posto de gasolina. Isso na visão do frentista, claro. Você chega para abastecer e não basta. O cara te oferece uma ducha. Você recusa. E ele gentilmente te pede para abrir o capô para ele "verificar a água e o óleo." E aí começa.

Não bastasse a gasolina estar pela hora da morte e você precisar encher o tanque com gasolina (Premium? Não, obrigado), ele ainda te desfia um rosário de problemas para quem vai pegar a estrada.

- O óleo tá baixo. Tem que trocar.
- Mas eu troquei no mês passado.
- Mas tá baixo. Pega pelo menos um litro.

Pega um litro e meio e você ainda é obrigado a ficar com meia garrafinha de óleo na mala do carro.

- Shii, precisa trocar o filtro também. De óleo e de ar. E essa água do radiador, sei não.
- Precisa não, ele vai entrar na revisão assim que voltar.
- O senhor é que sabe - diz, com cara de "vai dar merda, depois não reclama"

E ainda vem fluído de freio, aditivo para o motor, sabão para a água do mija (pra limprar o vidro, saca?) e você sai do posto de gasolina com o limite do cartão de crédito mais do que estourado. E ainda tem a caixinha do querido amigo do posto, tão prestativo e atencioso.

Mas o melhor mesmo é que você, depois de gastar essa grana toda, não sai de mãos abanando. Ganha de presente um lindo "não-sei-pra-que-serve" para usar no carro o resto do ano. Feliz Natal.